Tratamento da Endometriose – Patrick Bellelis – Tratamento

Tratamento

Tratamento

Clínico

O objetivo do tratamento clínico é promover alivio da dor provocada pela endometriose, além de tentar prevenir ou retardar a progressão da doença.36  Devido à sua característica de doença crônica, faz-se necessário tratamento de longa duração para obter controle dos sintomas e evitar múltiplas cirurgias. Há dificuldade na  uniformização do tratamento e, portanto, este deverá ser individualizado de acordo com os sintomas referidos, o desejo ou não de engravidar e a tolerância aos efeitos adversos apresentados pelas opções medicamentosas.

De acordo com recente revisão de literatura, foi observado que na vigência do tratamento clínico da endometriose, 60% a 90% das pacientes apresentaram redução dos sintomas dolorosos e melhora da qualidade de vida, porém estas conclusões são limitadas pela escassez de artigos publicados, pela qualidade das evidências de estudos não randomizados e pelo número reduzido de pacientes envolvidas nas séries de casos. Além disso, foram avaliadas diversas drogas, com diferentes vias de administração, dosagens e períodos de uso. Sabe-se também, que a melhora clínica  obtida durante o tratamento é efêmera, com o retorno ao quadro álgico quando da suspensão da medicação.

Dentre as opções temos anticoncepcionais, progesteronas, análogo de GnRH e analgésicos simples.

Cirurgico

O tratamento cirúrgico da endometriose deve ser realizado preferencialmente por via laparoscópica e de forma conservadora, onde as lesões da doença são excisadas completamente, contudo, deixando os órgãos reprodutivos intactos.

A excisão dos focos de forma completa deve ser o objetivo do tratamento cirúrgico. Sendo assim, podemos diferenciar a persistência das lesões após a cirurgia incompleta, da recorrência da doença. Como são diversos os sítios que podem estar acometidos pela doença, as cirurgias devem contar com equipe multidisciplinar, conforme a indicação prévia fornecida pelos exames de imagem. Os locais mais comumente afetados pela doença são região retrocervical e ligamentos uterossacros (69% dos casos), ovários, vagina (14,5%), bexiga (4,5%) e intestino (9,9%), sendo que nesta última o retossigmóide é o local mais afetado (65%).

Como diversos órgãos diferentes podem estar acometidos pela doença, em boa parte das cirurgias será necessária a formação de uma equipe multidisciplinar, com cirurgiões de diferentes especialidades, de forma que a doença seja excisada de forma completa com a preservação adequada dos órgãos acometidos.

Complementar

A endometriose é uma doença complexa que necessita de tratamento multidisciplinar. Atualmente, a utilização de terapias complementares pode ser muito útil:

  • Prática de exercícios físicos: é benéfica para a saúde de um modo geral, além da liberação de endorfinas que pode ser benéfica para o alivio da dor.
  • Fisioterapia e acupuntura: são úteis tanto no alivio da dor, quando na correção de posturas viciosas.
  • Psicologia: tanto a dor quanto a infertilidade podem ser bastante desgastante para as mulheres, principalmente em quadros clínicos prolongados. Assim, o acompanhamento por estes profissionais pode ser bastante benéfico.
  • Nutrição: A ingesta de fibras pode aumentar a excreção de estrogênio e poderia, desta forma, desempenhar um papel inverso no risco de endometriose, assim como a redução na ingesta de gorduras também poderia diminuir os níveis séricos de estrogênio. Dietas vegetarianas poderiam,supostamente, aumentar os níveis séricos de ligantes e proteínas carreadoras de hormônios sexuais, diminuindo, desta forma, a concentração disponível de estrogênio.

Em uma revisão da Cochrane de 2004 foi verificado que o consumo de vitaminas do complexo B, magnésio e a suplementação de omega 3 podem exercer um papel anti-inflamatório em pacientes com endometriose. Foi proposto que os ácidos graxos omega 3 e 6, magnésio e vitaminas do complexo B podem melhorar os sintomas álgicos relacionados com a endometriose, modulando a biossíntese e a atividade bioquímica de prostaglandinas relacionadas à dor pélvica. Além disto, uma dieta rica nestes nutrientes acaba diminuindo a ingesta de proteínas animais e, portanto, diminuindo o excesso de gordura corporal e a produção periférica de estrogênio.

Próximos Passos do Tratamento da Endometriose

Agende Agora Mesmo Sua Consulta Conosco e Tire Suas Dúvidas!

Translate »